17500693_kWWYw.jpg
Ao meu marido, que me apoiou, sendo o meu braço direito em todo o processo da minha doença, para ele um obrigado com muito carinho e amor

.posts recentes

. ...

. Homenagem a mais uma amig...

. Lembrando momentos que pa...

. Historia do Laço Cor-de-r...

. ...

. ...

. Mais uma informação

. ...

. Foi só Susto

. Mais um ano passado e eu ...

.arquivos

. Julho 2015

. Junho 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Outubro 2014

. Outubro 2013

. Outubro 2011

. Julho 2011

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

Terça-feira, 21 de Outubro de 2008

Utilizar a internet melhora desempenho do cérebro

Estudo americano sugere que pessoas de meia-idade desenvolvem as capacidades cerebrais com a utilização da internet

A utilização da internet estimula os centros do cérebro que controlam a tomada de decisões e o raciocíno complexo, segundo estudos de investigadores da Universidade da Califórnia divulgados pela edição on-online da BBC Brasil, que sublinham que esta até poderá ajudar no combate àquelas mudanças fisiológicas relacionadas com a idade que levam o cérebro a ficar mais lento.

Com o envelhecimento, o cérebro passa por uma série de mudanças, incluindo a redução na actividade celular, o que pode ter impacto no desempenho cerebral. Até agora, acreditava-se que actividades como palavras-cruzadas ajudariam a manter o cérebro activo e também a minimizar o impacto do envelhecimento. O novo estudo sugere que navegar pela internet também pode ser uma dessas actividades.

«Os resultados do estudo são encorajadores. As tecnologias que estão a surgir podem ter efeitos fisiológicos e benefícios potenciais para adultos de meia-idade ou mais velhos», diz o professor Gary Small, que liderou a pesquisa. «As pesquisas na internet envolvem uma complexa actividade cerebral, que pode ajudar a exercitar o cérebro e a melhorar as funções cerebrais», acrescenta.

O estudo foi publicado na revista «American Journal of Geriatric Psychiatry». Os cientistas trabalharam com 24 voluntários com idades entre os 55 e os 76 anos. Metade era formada por utilizadores experientes da internet, tendo cada um deles o cérebro examinado enquanto fazia buscas na rede e lia livros. Os dois tipos de tarefas deram provas de uma actividade significativa em regiões do cérebro que controlam linguagem, leitura, memória e habilidades visuais.

No entanto, a pesquisa na internet produziu uma actividade adicional em áreas separadas do cérebro, que controlam a tomada de decisões e raciocínos complexos, mas apenas nos voluntários que eram utilizadores experientes da internet.

Segundo os investigadores, comparando com a simples leitura, as múltiplas escolhas da internet exigem que as pessoas tomem decisões a respeito do que clicar para conseguir informações relevantes.

Os cientistas sugeriram, porém, que os utilizadores inexperientes da rede não conseguiram compreender bem as estratégias necessárias para uma busca bem-sucedida.

«Uma tarefa simples, quotidiana, como fazer buscas na internet, parece intensificar os circuitos cerebrais nos adultos mais velhos, demonstrando que nosso cérebro pode continuar a aprender à medida que envelhecemos», afirma Small. «Essas descobertas fascinantes somam-se a pesquisas anteriores e sugerem que pessoas de meia-idade ou mais velhas podem reduzir o risco de sofrer de demência ao praticar regularmente actividades cerebrais estimulantes», diz Rebecca Wood, directora-executiva da organização Alzheimer's Research Trust.

«Interação social frequente, prática regular de exercícios e a manutenção de uma dieta balanceada também podem reduzir o risco de demência», acrescenta Wood.

No entanto, para Susanne Sorensen, chefe de pesquisas da Alzheimer's Society, «ainda há poucas evidências de que manter o cérebro activo por meio de palavras-cruzadas, jogos e outras atividades» pode reduzir o risco de demência.

2008-10-21

 

Que bom pelo menos é um vicio que faz bem.   

publicado por Maria de Lourdes às 20:17
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.Meu Signo


RecadosOnline.com

.Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.favorito

. Oração a Nossa Senhora da...

. Cancro da Pele

. Voluntariado

. Histórias Que o 25 de Abr...

. Terceiro cântico do Servo...

. Consulta

. Morte do Domingos

. Recordar Ainda é Dificil

. Liberdade de Imprensa

. Ano Novo

.links

.pesquisar

 

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds